No Ar :

Baixe nosso app

Generic selectors
Exact matches only
Search in title
Search in content
Post Type Selectors

Últimas Notícias:

Invalid or Broken rss link.

Assaltantes de banco são capturados no Interior gaúcho. Ainda falta prender um envolvido

Transcorridas mais de 36 horas desde o assalto a banco que quebrou a pacata rotina da cidade gaúcha de Amaral Ferrador (Centro-Sul), a Brigada Militar (BM) comunicou no fim da noite dessa quinta-feira (8) a captura de três envolvidos e de um suspeito de participação no crime.

Um quinto indivíduo ainda é alvo de buscas na região de Encruzilhada do Sul (Vale do Rio Pardo), com ajuda da Polícia Civil. Em nota à imprensa, a corporação relatou que as primeiras prisões foram realizadas no fim da tarde: “Por volta das 17h, um homem de 23 anos, suspeito de participação no roubo do veículo usado no crime, foi preso na área urbana de Encruzilhada do Sul. Já às 17h20min, um indivíduo de 22 anos foi preso no perímetro do cerco policial. Com ele foram encontrados fuzil, pistola, munição e colete balístico”.

A BM esclarece, ainda, que outros dois indivíduos – de 22 e 24 anos – foram capturados na zona rural de Encruzilhada do Sul às 21h50min. Com eles havia pistola, carregadores e uma quantia não detalhada em dinheiro.

O texto acrescenta: “As buscas por um quinto indivíduo prosseguem, com a participação do Comando de Polícia Ostensiva do Vale do Rio Pardo (CRPO-VRP) e efetivos locais e Comando de Polícia Ostensiva do Sul (CRPO-Sul), com apoio do Comando de Polícia de Choque, Batalhão de Operações Especiais (Bope), Comando Rodoviário, Batalhão de Aviação e Comando Ambiental da BM.

Cordão humano com reféns

O assalto foi cometido por volta das 10h30min de quarta-feira (7) em uma agência do Banrisul no Centro de Amaral Ferrador. A ação foi marcada pelo uso de pistolas e armas longas, além da formação de um cordão humano com funcionários e clientes do estabelecimento, como escudo para os criminosos durante a fuga.

De acordo com informações da Brigada Militar, o grupo escapou em um automóvel Ford Ecosport branco levando consigo o dinheiro obtido no ataque (valor ainda não detalhado) e dois reféns, posteriormente deixados na estrada. Ninguém se feriu.

Os criminosos acabaram capotando o veículo (furtado dias antes em Pantano Grande) ao colidir com uma barreira instalada pela polícia em trecho rodoviário próximo a Encruzilhada do Sul, a quase 60 quilômetros do local do roubo.

Houve troca de tiros e a fuga então prosseguiu a pé, com os assaltantes se embrenhando na área de vegetação. Suas identidades permanecem ignoradas. A mesma agência bancária já foi assaltada em outras cinco ocasiões entre 2014 e 2022 – se levado em conta o ataque desta semana, a média é de um incidente a cada 20 meses.

Em todos os roubos foram utilizados reféns na fuga dos criminosos, mas ainda não se sabe se há ligação entre algum desses episódios e o registrado nesta semana.

Fonte: O Sul