No Ar :

Baixe nosso app

Generic selectors
Exact matches only
Search in title
Search in content
Post Type Selectors

Últimas Notícias:

Invalid or Broken rss link.

Coronavírus: número de recuperados chega a 405 em Montenegro, mas a bandeira segue em vermelho

O RS ficou com 12 regiões em bandeira vermelha na 16ª rodada do Distanciamento Controlado. Nove regiões estão no sistema de cogestão, adotando protocolos alternativos.

Montenegro está no sistema de cogestão, em bandeira vermelha, adotando os protocolos da laranja.

“Nove das 21 regiões já estão em sistema de cogestão do Estado com prefeitos e recebemos pedido de mais uma. Não é liberação para se fazer o que quiser. Importante salientar que o engajamento de cada um de nós segue sendo um dos principais antídotos para evitar a expansão das Covid-19. Observamos episódios recentes de aglomerações e empreendimentos que não estão respeitando os protocolos, sejam do Estado ou os regionais. O governo busca fazer a sua parte para garantir atendimento a todos, ampliando estruturas de saúde no hospitais e municípios, mas precisa contar com a colaboração da sociedade. Para que não sejam necessárias medidas mais restritivas, é fundamental que a população continue ajudando”, destacou o governador.

Divulgado na última sexta-feira (21/8), o mapa preliminar da 16ª rodada trazia 13 regiões com alto risco epidemiológico. Depois de análise dos 10 pedidos de reconsideração enviados por municípios e associações regionais, o Gabinete de Crise acatou apenas o recurso apresentado pela região Covid de Guaíba, resultando em nove bandeiras laranjas (risco médio) e 12 vermelhas.

Santo Ângelo, Santa Rosa, Santa Cruz do Sul, Lajeado e Passo Fundo tiveram o pedido indeferido e permanecem em bandeira vermelha, juntamente com Capão da Canoa, Taquara, Novo Hamburgo, Canoas, Porto Alegre Pelotas e Palmeira das Missões, que já estavam com essa classificação e não apresentaram pedido de reconsideração. (Veja, ao final do texto, as justificativas para cada recurso.)

As regiões que quiserem adotar protocolos distintos dos recomendados para cada bandeira pelo Estado devem elaborar planos estruturados próprios, aprovados por no mínimo dois terços dos prefeitos da região Covid, avalizados por equipe técnica e encaminhados para o Gabinete de Crise, exclusivamente via formulário eletrônico, com no mínimo 48 horas de antecedência do início da vigência de seu plano.

Até esta segunda (24), nove regiões – Capão da Canoa, Taquara, Novo Hamburgo, Canoas, Porto Alegre, Palmeira das Missões, Passo Fundo, Pelotas e Lajeado – já estavam sob o sistema de cogestão e o pedido de Uruguaiana está sob análise.

“Estamos vendo estabilização e até redução dos casos, mas ainda temos praticamente metade dos casos ativos na Região Metropolitana. Temos 3 mil óbitos, mas há uma heterogeneidade bem significativa entre as regiões. Esses dados estão disponíveis e, ainda mais que temos nove regiões em cogestão, são ferramentas para os próprios gestores olharem, fazerem suas escolhas, a fiscalização e seu controle para mantermos o contágio sob controle e termos condições de ter uma vida mais próxima da normalidade o quanto antes”, afirmou a coordenadora do Comitê de Dados, Leany Lemos, durante a transmissão ao vivo.

Informações: Acom e Secom RS